Por que abrir uma franquia de crédito?

Por que abrir uma franquia de crédito?

Para quem deseja ser dono do próprio negócio, investir em uma franquia de crédito pode ser uma ótima opção de negócio lucrativo e estável.

Investindo em uma franqueadora séria e consolidada no mercado, o franqueado recebe o know-how da empresa, suporte em todos os níveis de gestão e credibilidade por parte dos clientes, aumentando as chances de sucesso do seu negócio.

Inclusive, esse segmento de franquias demanda capital de giro baixo e o ponto comercial não precisa ser grande ou com muito cômodos. Também vale ressaltar que esse mercado cresce a passos largos, dado o aumento da demanda por crédito, e pouco sofre com sazonalidade.

Facilite sua leitura!

Como funciona uma franquia de crédito?

Ao considerar empreender nesse mercado, é importante saber, primeiro, como funciona uma franquia de crédito. Neste segmento, você poderá comercializar empréstimos consignado e pessoal, cartão de crédito consignado, financiamento, refinanciamento, consórcios, portabilidade e seguros para pessoas física e jurídica.

É importante entender que uma franquia financeira atua como intermediadora entre as instituições bancárias e os clientes. Nesse modelo de negócio, a empresa franqueadora oferece todo respaldo para a franquia, já que tem uma marca consolidada a zelar no mercado. Assim, o empreendedor investe em um negócio que é reconhecido e tem credibilidade.

Quais são os motivos para abrir uma franquia de crédito?

Um dos principais motivos é que você não começará o negócio sozinho e do zero, e ainda estará em um mercado extremamente lucrativo. A seguir, listamos alguns benefícios das franquias de crédito que podem ser cruciais na sua decisão como empreendedor:

1. Capital de giro baixo

Nesta modalidade não há necessidade de um alto capital de giro, pois os empréstimos são realizados pela instituição bancária e seu capital de giro será utilizado apenas para cobrir os custos operacionais da loja até que ela comece a se pagar. Desse modo, o capital é voltado para o pagamento de salários, contas de consumo, aluguel, contador, mídia, dentre outros.

2. Baixa inadimplência

As franquias de crédito proporcionam baixa inadimplência, porque o principal produto vendido é o empréstimo consignado, cujo desconto do valor das parcelas se dá diretamente na folha de pagamento do beneficiário. Por isso, os produtos consignados são uma ótima oportunidade de negócio, visto que não comprometem as finanças do empreendedor com o risco de não haver o pagamento pelo serviço prestado.

3. Marca já consolidada e retorno financeiro

Em uma franquia financeira, o negócio já foi testado e aprovado, e você ainda conta com suporte e treinamentos do franqueador para te auxiliar em todas as frentes de gestão. Assim, haverá menos chance de errar e os riscos de mercado se tornarão menores.

Com uma marca já conhecida pelo público, fica mais fácil prever o faturamento e, com isso, o retorno do investimento ocorre mais rapidamente. Isso porque a marca utilizada gera credibilidade aos consumidores, que já conhecem e confiam nos produtos da empresa franqueadora.

4. Ações de marketing amplas

Os franqueadores realizam ações de marketing para todas as suas lojas de maneira unificada e ainda contribuem para as campanhas regionais da sua loja, auxiliando na estruturação das estratégias e fornecendo os materiais prontos para que o franqueado realize as campanhas de forma ágil e assertiva.

5. Maior poder de negociação com fornecedores

Os fornecedores sabem que, quando há uma rede de franquias por trás da negociação, o risco de inadimplência é bem menor. Isso dá poder de compra para que o franqueado possa negociar preços, condições de pagamentos e prazos de entrega mais vantajosos.

6. Acesso a tecnologia e recursos

Em algumas franquias de crédito, em especial a Empresta, oferece acesso a tecnologia e recursos que podem ajudar a tornar sua operação mais eficiente e rentável.

O acesso a tecnologia e recursos é um dos benefícios mais atraentes de se abrir uma franquia de crédito. Como parte de uma franquia, você pode ter acesso a tecnologias de ponta e recursos que seriam muito mais caros ou difíceis de adquirir se você estivesse abrindo sua própria empresa do zero.

7. Rede de networking e troca de experiências

Fazendo parte de uma franquia, você terá a oportunidade de fazer parte de uma rede de networking com outros franqueados. Isso permite a troca de experiências, ideias e melhores práticas, além de possibilitar parcerias comerciais e colaborações. Aproveite essa oportunidade para aprender com outros empreendedores do mesmo ramo e ampliar sua rede de contatos profissionais.

8. Suporte contínuo e expertise do franqueador

Ao abrir uma franquia de crédito, você terá acesso ao suporte contínuo do franqueador, que possui expertise e conhecimento no setor. Isso inclui treinamentos, orientações e consultoria para ajudá-lo a tomar decisões estratégicas e enfrentar desafios do mercado. Aproveite essa rede de suporte para impulsionar o crescimento e o sucesso do seu negócio!

9. Menor risco

Ao optar por abrir uma franquia de crédito, você estará se beneficiando de um modelo de negócio com menor risco em comparação a iniciar uma empresa do zero. A franquia já passou pelo processo de teste e aperfeiçoamento, o que significa que o modelo operacional foi comprovado e refinado ao longo do tempo. Isso reduz consideravelmente as incertezas e as chances de enfrentar dificuldades financeiras que podem levar à falência.

Quanto custa abrir uma franquia de crédito?

O investimento nas franquias de crédito disponíveis no mercado varia de acordo com os benefícios propostos por cada uma aos seus franqueados e cada valor do investimento inicial é referente a uma finalidade específica.

Esse capital envolve a quantia que você precisa ter disponível no momento da assinatura do contrato e geralmente é dividido em três partes: taxa de franquia, reforma da loja e capital de giro. A seguir, listamos todos os valores envolvidos na aquisição de uma dessas franquias.

Investimento inicial

1. Taxa de Franquia

A primeira parte do investimento é a taxa de franquia, que corresponde ao uso de marca e ao know-how da franqueadora que são repassados ao franqueado. O know-how envolve toda a expertise da empresa sobre o negócio, o modo de operação e os treinamentos iniciais. O pagamento dessa taxa é a porta de entrada para se tornar parte da rede de franquias. Esse valor varia muito conforme o modelo de franquia e a estratégia de expansão da franqueadora.

2. Reforma do ponto comercial

A reforma do ponto comercial é a padronização do imóvel de acordo com o layout da marca, se adequando ao padrão arquitetônico de loja de cada empresa. Nela está incluída a compra dos equipamentos e da mobília, além de pintura e fachada.

As franquias de crédito costumam ter uma estrutura básica para atendimento dos clientes, não havendo necessidade de grandes imóveis ou de equipamentos exorbitantes. Alocar um imóvel que não precise de grandes reformas e obras estruturais pode ajudá-lo a economizar e manter esse valor dentro do esperado.

3. Capital de giro

Já o capital de giro é o valor que você precisa ter em caixa para manter a operação da sua loja nos primeiros meses até atingir o ponto de equilíbrio, isto é, até que ela se pague mensalmente e comece a gerar lucros. Esse custo envolve as contas de consumo, aluguel, salários e benefícios dos vendedores, entre outras despesas.

É importante ressaltar que o valor para locação do imóvel é de responsabilidade exclusivamente do franqueado. Como não há estoque em franquias de crédito, já que não há movimentação física de dinheiro, não há custos relacionados à manutenção de um.

Taxas periódicas

Ao calcular o quanto custa abrir uma franquia de crédito, é importante considerar, além do valor do investimento inicial, as taxas periódicas cobradas pela franquia e a forma de arrecadação de cada uma delas. Entre as mais comuns, podemos destacar:

1. Royalties

Os royalties podem ser considerados a manutenção do direito de uso da marca, do acesso ao know-how da empresa e do suporte recebido pelo franqueado. Esse valor pode ser fixo ou percentual sobre o faturamento da unidade, e geralmente é cobrado mensalmente, mas há franquias que adotam outros sistemas, como a cobrança bimestral. Contudo, é possível encontrar redes de franquia com isenção de royalties.

2. Taxa de propaganda

Assim como os royalties, a taxa de propaganda pode ser  arrecadada periodicamente e é uma opção de cada franquia, o que deve ser averiguado diretamente com a empresa. O intuito dela é custear as ações de marketing da rede para trabalhar a imagem da marca, atrair novos clientes e fidelizar o público, formando um fundo de propaganda.

Por isso, essa verba não é destinada à receita da franqueadora, que se responsabiliza por administrar o dinheiro e realizar os investimentos necessários. A definição do valor da taxa de propaganda também é variável em cada rede, podendo ter um custo fixo ou percentual.

Antes de assinar o contrato, procure saber sobre as ações publicitárias da marca nacionalmente e na região onde você abrirá a sua unidade para confirmar se elas são efetivas e geram resultado. 

3. Uso de sistemas 

A franqueadora também pode cobrar pela utilização do sistema, como uma licença por usuário. Isso garante que a área de TI mantenha o sistema sempre em funcionamento, atualizado e também permite que a franqueadora invista em inovações para atender melhor as franquias.  

Além de analisar cada um dos valores citados, analise também se o retorno do investimento se dá conforme prometido em cada rede para entender se o negócio vale a pena e se está de acordo com as suas expectativas.

Por essa razão, é importante perguntar sobre a existência de todas elas ao representante da sua franquia de interesse e ler com atenção à Circular de Oferta de Franquia que você receberá durante o processo seletivo.

Independentemente do capital que você tem disponível para investir, as franquias são um ótimo empreendimento para quem busca segurança na sua operação e a credibilidade de uma marca reconhecida. Mesmo se tratando de franquias de crédito, há opções para todos os bolsos. Vale pesquisar e encontrar aquela com a qual você se identifica e pode arcar com os custos de aquisição. Lembrando que o retorno do seu investimento será proporcional a ele.

6 erros para NÃO cometer na sua franquia de crédito

O mercado de crédito é comprovadamente de alto rendimento, pouco sofre com sazonalidade e não há necessidade de estoque nas franquias financeiras, já que a oferta é de serviços bancários. Contudo, quem escolhe empreender no modelo de franquias deve ter em mente que o trabalho demanda o mesmo empenho de um negócio próprio ou você dificilmente irá obter o retorno financeiro do seu investimento como planejado.

A fim de evitar esse tipo de erro, listamos os 5 erros mais comuns ao abrir uma franquia financeira para você evitar desde já!

1. Não estudar o mercado

Você não precisa de experiência prévia no mercado de crédito, mas é fundamental que busque conhecê-lo e acompanhe as suas mudanças. Esse é um mercado extremamente dinâmico e a todo o momento há novas resoluções e mudanças nas regras dos bancos e dos produtos. Por isso, é imprescindível se manter sempre bem informado.

Fale com outros franqueados, consulte especialistas do segmento e participe de eventos voltados para o seu ramo de atuação. Também não deixe de aproveitar os treinamentos oferecidos pela empresa franqueadora para capacitar você e a sua equipe de vendedores.

Estude o mercado e conheça bem as normativas que regem o correspondente bancário e o funcionamento de cada produto que você comercializa. Assim, você será capaz de oferecer as melhores soluções para as necessidades do seu cliente. Lembre-se: a busca por conhecimento é sempre enriquecedora!

2. Não se identificar com o segmento

Esse erro está relacionado ao anterior. Como dito, você não precisa ser experiente no segmento de crédito, mas deve se identificar com ele, afinal, o negócio de correspondente bancário demanda dedicação integral e diariamente.

É mito que no modelo de franquias você não precisa estar presente e se envolver no negócio. Podemos afirmar que o sucesso do empreendimento está diretamente ligado ao empenho e motivação do empreendedor. Logo, não adianta apostar em uma franquia financeira, se você não for capaz de visualizar que o seu esforço e tempo dedicados a ela são um investimento necessário.

Se você reconhece que não tem vontade e/ou disponibilidade para se dedicar a esse nicho, procure combinar os seus interesses e gostos pessoais com um que apresente uma boa demanda de público.

3. Terceirizar a gestão da franquia

Engana-se quem pensa que o trabalho já está feito apenas por utilizar uma marca famosa. Você precisa garantir que os padrões de excelência da franqueadora estejam sendo seguidos na sua franquia financeira, pois são eles que tornam a marca de confiança e do agrado do público.

Para isso, você precisa se familiarizar com o negócio e conhecê-lo de perto, reconhecendo as dificuldades e os desafios da sua operação diária. Por essa razão, não é indicado que o empreendedor terceirize a gestão da franquia financeira, se deseja o obter máximo retorno para o seu investimento.

Além disso, apenas dessa forma você será capaz de liderar adequadamente a sua equipe de vendedores, em busca de uma produtividade maior e, consequentemente, de lucros maiores. É o olho do dono que engorda o boi!

4. Não fazer um planejamento financeiro realista

Um erro gravíssimo que pode comprometer as suas finanças é não avaliar a viabilidade financeira da franquia e o plano de negócios. A franqueadora cede as estimativas de gastos e de faturamentos em curto, médio e longo prazo e é essencial estudar cada um desses custos para não lidar com surpresas desagradáveis lá na frente, como a falta de capital de giro para manter o funcionamento da loja nos primeiros meses.

Deve-se ter em mente que esses números podem variar de acordo com a cidade, o aluguel e a localização do ponto comercial, por exemplo, e as expectativas devem ser condizentes com a sua situação atual. Assim, ao investir em uma franquia financeira, garanta que você tem o capital necessário para suprir os valores referentes ao investimento inicial, que pode ser dividido em três partes: taxa de franquia, reforma e padronização da loja, e capital de giro.

5. Não controlar o fluxo de caixa

Se você quer abrir uma franquia financeira, deve ter em mente que a remuneração do correspondente bancário é realizada na forma de comissionamento pelos bancos a cada contrato aprovado. Dessa forma, há fluxo de caixa constante na sua loja. Por isso, você precisa fazer o controle financeiro e registrar cada entrada e saída de recursos, para garantir que a sua franquia se mantenha autossustentável e lucrativa, pagando as despesas de operação e garantindo o futuro do negócio.

6. Não investir em marketing e divulgação

Um erro comum é negligenciar a importância do marketing e da divulgação para uma franquia de crédito. Mesmo que você esteja oferecendo serviços bancários, é essencial promover sua marca, atrair clientes e criar uma presença sólida no mercado.

Investir em estratégias de marketing adequadas, como publicidade online, mídias sociais, marketing de conteúdo e parcerias estratégicas, pode impulsionar o reconhecimento da sua franquia e atrair clientes em potencial. Além disso, manter um relacionamento próximo com os clientes existentes por meio de programas de fidelidade e atendimento de qualidade também é fundamental para o sucesso do seu negócio.

Não subestime o poder do marketing e da divulgação para aumentar a visibilidade da sua franquia de crédito e impulsionar seu crescimento.

Esses são erros muito comuns de acontecer com quem decide empreender no mercado de crédito sem conhecer as suas particularidades. Ao evitar esses equívocos, certamente a sua experiência ao abrir uma franquia financeira será muito mais bem-sucedida. Mas saiba que você não precisa estar sozinho nessa jornada.

Ter uma franqueadora ao seu lado prestando suporte diariamente e em todas as frentes do negócio, desde a assinatura do contrato, é um grande diferencial para tornar esse processo o mais agradável possível e maximizar a lucratividade da sua franquia.

Converse com a gente e seja um franqueado!

Por que considerar a Franquia Empresta?

Ao optar pela Franquia Empresta, o empreendedor terá a oportunidade de ingressar em um negócio sólido e confiável, com anos de experiência no mercado de crédito. Através de parcerias estratégicas com os principais bancos do Brasil, a Empresta oferece aos seus franqueados um amplo mix de produtos e serviços, além de garantir um payback dentro do prazo estimado de apenas 18 meses, como comprovado pela satisfação de 100% dos franqueados atuais.

A força da marca Empresta no mercado é outro diferencial notável, o que proporciona ao franqueado vantagens competitivas e reconhecimento perante os clientes. Além disso, a franquia oferece um apoio completo de gestão e operação da loja, com suporte 360º, possibilitando que o empreendedor possa focar no crescimento do seu negócio.

A Empresta está no mercado a quase 3 décadas e conta com um canal Omnichannel, com atendimentos de forma presencial, pelo APP Empresta, WhatsApp ou site. Um diferencial que garante a inserção da franquia em um ambiente totalmente tecnológico e que se preocupa com o desenvolvimento e crescimento.

A busca contínua por aprimoramento e excelência é um valor fundamental na Empresta. A empresa investe em pesquisas e melhorias constantes em seus serviços, visando sempre a satisfação do franqueado e do cliente final. Com mais de 90 lojas espalhadas por todo o país, a rede da Empresta representa uma excelente oportunidade para empreendedores que desejam fazer parte de um segmento de sucesso e comprovada lucratividade.

Para saber mais, conheça o modelo de franquias da Empresta!

Leia mais sobre franquia de crédito:

  1. Por que as franquias de empréstimo são um bom investimento para novos empreendedores
  2. Quanto custa abrir uma franquia de empréstimo?
  3. Como se tornar um franqueado de empréstimo
  4. Aprenda como abrir uma franquia financeira em 7 passos

Perguntas frequentes

Uma franquia de crédito atua como intermediária entre instituições bancárias e clientes, oferecendo uma variedade de produtos financeiros, como empréstimos consignados, cartões de crédito consignados, financiamentos, consórcios, portabilidade e seguros para pessoas físicas e jurídicas. O franqueado recebe suporte da franqueadora, que fornece know-how, treinamento e credibilidade de marca.

O custo inicial de abrir uma franquia de crédito varia dependendo da franqueadora e das condições específicas. Geralmente, inclui a taxa de franquia, a reforma do ponto comercial e o capital de giro. Além disso, podem haver taxas periódicas, como royalties e taxas de propaganda. Os valores exatos dependem do modelo de franquia e da estratégia da franqueadora.

A Franquia Empresta oferece a oportunidade de ingressar em um negócio sólido e confiável, com experiência no mercado de crédito e parcerias estratégicas com bancos. Além disso, a marca Empresta é forte e reconhecida. A franquia oferece suporte completo de gestão e operação, bem como investe em melhorias constantes em seus serviços. O payback é estimado em 18 meses, comprovado pela satisfação dos franqueados.

Posts Relacionados