Franquia: o que é e como funciona

Franquia: o que é e como funciona

Se você deseja abrir um negócio mas ainda possui dúvidas sobre qual modelo empreender, está no lugar certo para aprender mais sobre o modelo de franquia, uma opção que cresce de modo contínuo, como afirma a Associação Brasileira de Franchising (ABF).

Para fazer parte de uma rede de franquias é necessário seguir processos, regras e treinamentos da franqueadora. Ou seja, você será um empreendedor, mas seguirá as diretrizes da empresa na qual investiu. Para saber mais sobre, acompanhe o texto e conheça esse universo.

O que é uma franquia?

Franquia é um modelo de negócio no qual você abre seu próprio empreendimento utilizando a marca, know how, sistema e suporte de uma empresa já consolidada. É como se, pelo tempo do contrato, você fosse sócio da empresa, seguindo suas diretrizes e colhendo os resultados de suas vendas.

Neste modelo temos o papel do franqueado e o franqueador. O franqueador é a pessoa jurídica que possui todos os direitos sobre a marca e patente, e que os cede aos franqueados, pessoa física ou jurídica que adere a essa marca.

Ou seja, você se torna sócio de uma marca que já existe e possui nome no mercado, tendo assim, um investimento com um retorno mais rápido e maior rentabilidade.

Como funciona o modelo de franquias?

Nas franquias, nada se cria, tudo se copia! ”

Quando você abre uma franquia, você pode contar com:

  • Know-How da franqueadora
  • Direito de uso da marca
  • Treinamentos de produto
  • Direito de distribuição dos produtos

O Know-how é basicamente a cópia do negócio. Toda a gestão, assim como operação e divulgação são transferidas para a nova franquia, ou loja gêmea. A infraestrutura terá elementos base, mas poderá ser ajustada perante a localização e o imóvel em que a marca será aplicada.

O principal objetivo de uma franquia é proporcionar uma possibilidade de expansão sobre um negócio que tenha um nome já concreto e valorizado, aumentando a lucratividade da empresa franqueadora e do franqueado.

Modelos de franquias

Atualmente, há 5 tipos de modelos de franquias principais no mercado de trabalho:

1. Franquia individual

Essa é a mais comum hoje, que mantém o a base da uma franquia vista como “ideal”. Essa franquia possui um contrato específico em cada unidade e funciona em um ponto comercial preparado especialmente para receber a marca franqueadora.

Ou seja, ela exige um espaço exclusivo, no qual somente ela tenha autonomia nesse ambiente e que nada mais opere no local. Quem utilizada a franquia individual são correspondentes bancários, lojas de roupas, moda, calçados, livrarias e afins.

Exemplos: O Boticário, Cacau Show, Óticas Carol, Mc Donalds, Empresta Bem Melhor.

2. Franquia combinada

Nesse modelo, é possível a abertura de variados tipos de franquias em um só ponto comercial. Elas devem pertencer ao mesmo franqueador e também necessitam vender produtos similares, após a aprovação dos responsáveis pelas marcas.

Você pode por exemplo, optar em ter uma loja que venda calçados, mas que também ofereça roupas e cosméticos.

Exemplo: Endossa, uma franquia combinada colaborativa que abriga variados vendedores e outras lojas relacionadas a moda, entretenimento, beleza e cultura.

3. Store in store/shop in shop

O shop in shop é para quem quer atuar com dois tipos de negócios em um mesmo ambiente. Ou seja, o empreendedor que já possui um local físico de trabalho abre uma minifranquia dentro dele.

Para que ele funcione, o nicho da franquia deve combinar com o que o seu estabelecimento já oferece. Você pode ter um supermercado e adquirir uma empresa de congelados para vender no mesmo ambiente.

Exemplo: Esse modelo relaciona a marca Giraffas com a marca Tostex, que utilizam a mesma infraestrutura e compartilham estoque, cozinha e afins, porém suas fachadas são separadas umas das outras. O objetivo desse formato de franquia é reduzir custos e facilitar operações.

4. Microfranquia

Um modelo que está começando a crescer cada vez mais, conta com um investimento de até 80 mil reais para abertura de uma franquia. Segundo Edson Ramuth, diretor de microfranquias da Associação Brasileira de Franquias (ABF), a Classe C, predominante neste nicho, não quer ser mais somente uma grande consumidora, e sim uma investidora.

Então, para quem não possui capital de giro alto, é possível aplicar e investir o dinheiro neste empreendimento. Além disso, ainda é possível trabalhar em home office, o que reduz bastante quaisquer outros gastos relacionados a uma instalação de franquia ou custos trabalhistas de terceiros.

Exemplo: Cacau Show, Açaí Concept, Casa da Empada…

5. Franquia de conversão

Se você já possui um negócio e quer transformá-lo em sua própria franquia, essa é a escolha mais certeira. Você deverá ajustar a sua empresa às normas básicas de franqueadoras e mudar alguns aspectos, como o seu ponto ou sua identidade visual. Tudo dependerá das condições de cada caso.

Algo que poderá ser modificado também é o método de trabalho, que deverá ser substituído por todos os da franqueadora.

Qual modelo escolher?

Essa decisão deverá ser tomada somente por você. Pense e pesquise sobre valor de investimentos, qual atenderá melhor o seu projeto inicial, opte pelo nicho que possui mais afinidade e também sobre o tempo de retorno de investimento.

Lembre-se também de pesquisar sobre a marca que irá escolher para abrir uma franquia e tenha confiabilidade na empresa em que se associará. Assim entenderá qual o melhor tipo de franquia para se empreender.